10 ideias de como ganhar dinheiro em casa usando a internet


Elisângela Dias
Elisângela Dias
Gestora de Recursos Humanos

Trabalhar e ganhar dinheiro em casa pela internet tem se tornado um sonho cada vez mais comum entre os brasileiros. Seja para se livrar do trânsito das grandes cidades, ter mais tempo livre ou ficar mais próximo da família.

E ao regulamentar o teletrabalho, a reforma trabalhista aumentou as possibilidades de criação de vagas nesta modalidade. Confira a seguir!

1. Aluguel de quartos

Se você possui um quarto ocioso em casa, pode transformar o espaço em uma fonte de renda. Através do site da Airbnb, é possível colocar seu quarto vago para alugar. Os ganhos possíveis vão depender do tamanho do espaço disponibilizado e da localização do imóvel.

Os anúncios são gratuitos e você pode definir sua programação, preços e requisitos para os hóspedes. A Airbnb fornece um seguro contra danos materiais para os anfitriões. Ainda é possível conversar com os hóspedes potenciais antes de fechar o negócio.

Uma nova profissão surgiu a partir deste serviço oferecido pela Airbnb, a de administrador de imóveis Airbnb. Ao conquistar uma boa posição no ranking da plataforma, dá para administrar outros imóveis além do seu. Os ganhos na modalidade giram em torno de R$8 mil a R$12 mil.

2. Criador de conteúdos

Caso você domine algum assunto, pode se oferecer para trabalhar como criador de conteúdos para sites, blogs ou redes sociais. O conteúdo online serve de base para a construção dos relacionamentos entre as empresas e os clientes. Por isso, a maioria das empresas está preocupada em manter um conteúdo de qualidade em seus sites.

Para se tornar um bom criador de conteúdos, é necessário escolher assuntos com os quais você tenha alguma afinidade. Algo importante porque apenas através disso é possível criar um vínculo com o público leitor.

Você deve dominar técnicas de redação, português e gramática. Com organização e disciplina, é possível oferecer seus serviços para mais de um empregador.

3. Suporte ao cliente

suporte ao cliente

Como uma modalidade de atendimento ao cliente, o suporte técnico online é uma boa opção para quem domina a área de tecnologia da informação.

Atualmente, a maioria das empresas precisa de algum tipo de suporte desse tipo. Para ter sucesso na área, é necessário conhecer as tecnologias de acesso remoto. Através destas tecnologias, o analista de suporte pode controlar o computador do cliente para solucionar o problema em questão.

Além dessas competências, é fundamental que o profissional domine o processo de atendimento ao cliente. Neste contexto, é necessário um alto nível de empatia para se colocar no lugar do cliente.

4. Telemarketing

Cada vez mais empresas optam por manter os profissionais de telemarketing no regime de teletrabalho. Além de diminuir os custos com transporte e energia elétrica, ao optar pelo teletrabalho as empresas otimizam seus espaços físicos.

Para iniciar no ramo, é necessário ter um equipamento mínimo como computador, telefone e impressora. Além disso, se você não tiver experiência na área, é interessante fazer um curso de telemarketing online antes de se candidatar. O Senai costuma oferecer formação na área.

Entre as competências mais procuradas nos profissionais de telemarketing, destacam-se a boa capacidade de comunicação verbal e a boa dicção. A inteligência emocional para lidar com os clientes mais problemáticos também é valorizada.

5. Secretariado

Também conhecido como assistente virtual ou secretária remota, para quem domina as rotinas administrativas e possui experiência na função, esta pode ser uma grande oportunidade para trabalhar em casa.

Com o trabalho centralizado nos contatos telefônicos e por e-mail, o assistente virtual realiza a gestão da agenda do cliente. Reserva de passagens aéreas e hotéis, aluguel de carros, marcação de consultas médicas, são alguns dos exemplos das tarefas que podem surgir no dia a dia deste profissional.

Com a lenta recuperação da economia, até os pequenos empreendedores estão optando pela contratação dos serviços de uma secretária no modelo virtual.

6. Revenda de produtos

A criação de uma loja online para revenda de produtos está se tornando cada vez mais viável para o pequeno empreendedor. Com os planos de comércio eletrônico oferecidos pelas empresas de hospedagem mais acessíveis, esta é uma boa opção para os interessados.

Sem a necessidade de manter um estoque físico, o revendedor pode ter sua margem de lucro garantida sem a necessidade de comprar grandes volumes iniciais dos fornecedores.

Muita gente opta por começar utilizando o serviço de grandes empresas de e-Commerce, como o Mercado Livre ou a Amazon. Assim, economizam o valor do investimento de iniciar um site com domínio próprio.

Mas para aqueles que desejam iniciar com um site próprio, deixamos aqui uma lista com as principais empresas que oferecem planos de comércio eletrônico:

7. Venda de fotos

venda de fotos

Para aqueles que dominam as técnicas da fotografia, esta pode ser uma possibilidade de negócio lucrativa. O investimento em equipamento profissional e software de edição de imagens pode ser elevado, mas você pode começar pequeno e crescer aos poucos.

Para os iniciantes no ramo, é indicado procurar um curso online. O Senac oferece várias opções de cursos, que vão desde a fotografia de produtos até a operação de software de edição de imagem.

Existem inúmeros sites que permitem que você coloque suas fotos à venda. A maioria funciona pagando um percentual sobre o valor de venda da foto.

8. Marketing multinível

Baseado na ideia de diminuir os intermediários entre o produtor e o consumidor, o marketing multinível (MMN) também conhecido como venda direta. Promove a criação de um rede de distribuidores independentes onde cada um ganha comissão sobre as vendas dos produtos.

Neste modelo de negócio, o investimento inicial costuma ser pequeno. Além disso, não são exigidas qualificações acadêmicas ou técnicas.

Tome muito cuidado com o modelo de pirâmide, que é considerado ilegal no Brasil. Neste modelo, é feito a promessa de ganhos astronômicos em pouco tempo. Esse esquema funciona, apenas através da indicação de novos membros, favorecendo as pessoas mais antigas. Esteja atento, para não cair em golpes de enriquecimento fácil.

9. Criação de cursos online

criação de cursos

Com a proliferação das plataformas que oferecem as ferramentas para criar seu curso online, está cada vez mais simples entrar no mercado de cursos online. Se você domina algum assunto e possui desenvoltura diante das câmeras, esta é sua oportunidade.

Se você já assistiu alguma videoaula, já deve saber o quanto a qualidade do vídeo e áudio são essenciais para atrair a atenção das pessoas. Portanto, para garantir a qualidade, é necessário investir em equipamentos. Câmera, lentes, tripé, microfones, iluminação e cenários são alguns dos itens da lista.

Para aqueles que possuem muito conhecimento para compartilhar, mas sentem-se inseguros diante das câmeras, a sugestão é procurar um curso de oratória e como falar em público ou ler as nossas 10 dicas de como falar bem em público.

Plataformas de publicação de cursos online:

10. Aulas particulares

Se você tem o dom de ensinar e domina bem algum assunto, pode oferecer seus serviços de aulas particulares pela internet.

A demanda por aulas particulares se mantém estável ao longo do tempo. Podem ser aulas de idiomas ou disciplinas clássicas do ensino médio, como matemática ou desenho geométrico. A modalidade continua a melhor forma de reforçar as habilidades do aluno.

Além de um computador e uma conexão com a internet, você irá precisar de um software de comunicação, como o Skype ou Hangout, que podem ser utilizados sem custo.

Para aqueles que desejam criar salas de aula virtuais com vários alunos, podem utilizar o software Zoom como alternativa.

Sites que disponibilizam vagas de teletrabalho

Deixamos uma lista de sites onde você pode encontrar vagas para trabalho remoto. Independente do tipo de serviço que deseja prestar, estes sites podem disponibilizar oportunidades nesta modalidade. Boa sorte!

Elisângela Dias
Elisângela Dias
Graduada em Gestão de Recursos Humanos pela Universidade Estácio de Sá em 2004. Pós graduada em Gestão de Projetos pela Universidade Cândido Mendes em 2007.