Como conseguir um emprego: passo a passo


Elisângela Dias
Elisângela Dias
Gestora de Recursos Humanos

Muitas vezes, a pessoa quer mudar de emprego o mais rápido possível, mas não obtém respostas das tentativas. Outras vezes, as pessoas estão em busca do primeiro emprego e esbarram no clássico dilema de como arrumar um trabalho sem experiência.

Não importa o caso, se a sua abordagem não tem funcionado, talvez seja por causa de não considerar os três passos essenciais de quem está nessa busca. É comum focar no envio de currículos e esquecer os outros passos.

Confira como conseguir um emprego a seguir!

1. Estude o mercado

estude o mercado

Conhecer o mercado é tão importante quanto procurar vagas. Antes que duvide da importância da prática por causa da ansiedade, pense que conhecer melhor a empresa para qual se candidata permite um melhor alinhamento dos seus interesses com os da organização.

Sabemos que você pode estar desesperado para arranjar uma oportunidade de trabalho, mas é em momentos de desespero que tomamos decisões erradas.

Lembre-se de que você é um recurso valioso e só você pode dar o devido valor à sua jornada profissional. Portanto, reserve um tempo na rotina diária para estudar o mercado de trabalho.

Glassdoor

Um site que permite avaliar as empresas a partir do ponto de vista dos funcionários é o Glassdoor. Uma vez que você tenha se registrado, é possível consultar as avaliações de diversas empresas.

Assim, você se torna capaz de avaliar as oportunidades oferecidas de um ângulo totalmente diferente.

Os depoimentos anônimos de funcionários e ex-funcionários permitem que confira as vantagens e desvantagens da organização. Além disso, pode encontrar conselhos deixados para a gerência ou diretoria das empresas.

Great Place to Work

O site GPTW publica anualmente o ranking das melhores empresas para trabalhar no âmbito nacional. Os resultados são separados pelo porte da empresa e também por regiões. A informação é pública e pode ser consultada no site da organização.

Com uma metodologia própria, a GPTW avalia dimensões como credibilidade, respeito, imparcialidade, orgulho e camaradagem. Tudo isso através de uma pesquisa de clima organizacional com os funcionários.

2. Procure por vagas em aberto

vagas em aberto

A procura por posições e o envio de currículos é o ponto onde a maioria das pessoas mantém o foco. Deixamos aqui algumas sugestões de sites especializados em vagas de emprego.

Vagas

O vagas.com se intitula uma comunidade de colaboradores cujo objetivo é descobrir os melhores talentos para as empresas, ao mesmo tempo em que promove o desenvolvimento da carreira dos candidatos.

Em atividade desde 2014, o vagas.com possui parcerias com grandes empresas que mantém uma área de oportunidades dentro do site.

Indeed

Com a missão de ajudar a empregar pessoas, o indeed.com coloca os candidatos em primeiro lugar dando livre acesso à publicação de currículos, pesquisa de vagas e empresas.

Segundo dados do próprio site, cerca de 9,8 vagas são adicionadas por segundo em nível mundial.

Curriculum

Além de oferecer gratuitamente o cadastro de currículos e o anúncio de vagas, o curriculum.com.br afirma possuir atualmente mais de 40 mil vagas e 9,8 milhões de profissionais registrados.

Infojobs

O InfoJobs é uma plataforma cujo objetivo é promover o encontro das empresas que procuram profissionais qualificados e os candidatos que buscam oportunidades.

Jooble

O Jooble tem por missão ser o equivalente do Google na pesquisa de emprego. A busca inclui as vagas dos maiores portais de emprego do Brasil, filtrando os resultados duplicados.

É possível assinar para receber por e-mail alertas de novas vagas de acordo com o perfil de usuário.

3. Faça networking

fazer networking

Se você pensa que o LinkedIn é apenas o seu currículo online, está enganado.

Apesar de promover vagas, o LinkedIn também não é um site tradicional de empregos. O LinkedIn é uma rede social focada no perfil profissional dos usuários. O grande diferencial do site está na possibilidade de se conectar com outros profissionais da sua área e fazer o famoso networking.

Como melhorar sua atuação no LinkedIn?

melhorar atuação linkedin

E-mail profissional

Tenha atenção na hora de escolher um e-mail para o LinkedIn. Evite usar e-mails compostos por apelidos ou nome de personagens de séries ou filmes. Isso pode prejudicar sua credibilidade.

Foto

A foto é a porta de entrada para o perfil do usuário. Portanto, selecione uma imagem que transmita sua experiência profissional e credibilidade. Procure usar uma foto atual, usando uma roupa adequada ao seu trabalho.

Evite colocar fotos em momentos de lazer, na praia, na balada, tomando cerveja ou deitado na rede da varanda. Dê preferência a fotos em que você aparece de frente.

Nada de braços cruzados em poses de poder. Nos últimos anos, muita gente optou por este tipo de foto, mas essas poses não demonstram abertura. De braços cruzados você não está receptivo, mas blindado. Pense no que você quer passar.

Faça um favor a você mesmo e nunca coloque fotos com outra pessoa! Este é o seu perfil, não é o perfil de um casal ou de uma família.

Título

Tenha atenção ao título que escolher, pois aparecerá nas buscas feitas no LinkedIn. Você pode usar um slogan que mostre quais benefícios seu trabalho promove. Outra hipótese é utilizar palavras-chave que indiquem cargo, função ou área.

Alguns exemplos:

  • Gerente de Comunicação Interna
  • Profissional da área de Recursos Humanos
  • Profissional da área de Marketing

Se estiver desempregado, dê preferência ao seu último cargo. Não é necessário dizer que está desempregado para conseguir uma nova colocação.

Não coloque “Profissional em busca de uma nova oportunidade” ou “Em busca de uma nova recolocação”. Isso irá prejudicar sua visibilidade nas buscas. No caso de você estar à procura do primeiro emprego, sugerimos "Estudante na área de...".

Lembre-se: o que chama a atenção dos recrutadores que buscam profissionais no LinkedIn está nas suas competências, habilidades e experiência profissional.

Resumo

O campo do resumo é um dos mais importantes do perfil. Se tiver uma declaração de propósito ou objetivo profissional, esse é o local para usá-la. Lembre-se de que, assim como o Google, o LinkedIn funciona com palavras-chave. É no resumo que você deve usar essas palavras.

As palavras-chave são aqueles termos pelos quais você quer ser encontrado. Por exemplo, um analista de RH pode usar os termos: treinamento, T&D (treinamento e desenvolvimento), R&S (recrutamento e seleção) e HR (do inglês human resources).

Procure manter seu resumo enxuto. Use no máximo 15 linhas. Algumas informações que podem fazer a diferença:

  • Objetivo profissional
  • Formação acadêmica
  • Tempo de experiência
  • Áreas de atuação
  • Competências e habilidades
  • Resultados obtidos

Conteúdos

A produção de conteúdo na timeline é uma forma de conseguir conexões no LinkedIn. Através das publicações, você pode receber pedidos de contato. O LinkedIn fornece métricas com gráficos para avaliação da performance do conteúdo publicado. Assim, fica mais fácil direcionar seus esforços na produção de textos.

Caso você não seja um produtor de conteúdo, procure compartilhar algo interessante de terceiros. Sempre escolha temas relacionados com a sua prática profissional. Evite as publicações de momentos de lazer, festas e passatempos. Deixe isso para outra rede social.

Grupos

Para ampliar as possibilidades, procure entrar para grupos de discussão da sua área de atuação. Algumas vagas são publicadas dentro dos grupos, desta forma o recrutador consegue um retorno mais segmentado.

Participe sempre contribuindo de forma positiva. Deixe uma boa imagem nos grupos em que participa para contribuir com a formação do seu perfil.

Conectar com outros profissionais

Antes de sair adicionando um monte de gente, utilize a etiqueta profissional e se apresente, antes de adicionar alguém.

Para quem está à procura de emprego, o ideal é manter uma atitude de networker receptivo. Em outras palavras, evite recusar conexões que apareçam para você.

Mantenha uma rotina diária

rotina diária

Para finalizar, lembramos que é necessário que você mantenha uma rotina diária focada nos três passos.

Reserve pelo menos cerca de duas horas por dia para trabalhar na sua busca por um emprego. Trabalhar na busca? Sim, dá trabalho procurar por trabalho. Mas também pode ser muito gratificante. Muito sucesso!

Veja também:

Elisângela Dias
Elisângela Dias
Graduada em Gestão de Recursos Humanos pela Universidade Estácio de Sá em 2004. Pós graduada em Gestão de Projetos pela Universidade Cândido Mendes em 2007.