Relacionamento Interpessoal: o que é e como pode impactar a sua carreira


Elisângela Dias
Elisângela Dias
Gestora de Recursos Humanos

Relacionamento Interpessoal diz respeito ao conjunto de comportamentos e habilidades que uma pessoa é capaz de desenvolver, que favoreçam positivamente o seu convívio social. Quando bem desenvolvida, esta habilidade pode contribuir para interações mais satisfatórias com as outras pessoas.

Sendo por natureza um ser social, o ser humano pertence sempre a algum grupo. A unidade familiar é o primeiro grupo em que o indivíduo se vê inserido. Desde então a interação com número de grupos cresce, à medida que a pessoa se desenvolve. Desta forma ela tende a pertencer cada vez a mais grupos.

No contexto organizacional, o relacionamento interpessoal representa as interações que ocorrem entre as pessoas que buscam atingir um objetivo em comum. A partir destas interações pode surgir a cooperação e, consequentemente, o aumento da confiança entre os membros da equipe.

O resultado geral para a organização é positivo, gerando um ambiente que serve de alicerce para relações harmoniosas.

Quando o relacionamento interpessoal é prejudicado por algum motivo, cria-se um ambiente onde os conflitos e diferenças de opinião ficam difíceis de resolver. A comunicação pode se tornar truncada afetando a produtividade. Além disso, um ambiente com baixa qualidade de relacionamento interpessoal, favorece a dificuldade de envolver novas pessoas no grupo.

Portanto, torna-se evidente que o desenvolvimento de um bom relacionamento interpessoal no ambiente de trabalho é tão importante quanto a capacitação técnica dos indivíduos da equipe. Ele serve de condição primária para o alcance de resultados da organização, de maneira consistente.

Inteligência Interpessoal

Segundo Daniel Goleman, autor pioneiro no tema da inteligência emocional, podemos definir inteligência interpessoal como a habilidade de entender as outras pessoas e suas respectivas motivações. Somente a partir desta compreensão podemos nos tornar capazes de trabalhar de forma cooperativa com elas.

Entre algumas habilidades que definem a inteligência interpessoal podemos destacar:

Capacidade de organizar grupos

Habilidade típica de quem é líder, atividade relacionada com a coordenação de um grupo de pessoas para atingir um objetivo.

capacidade de organizar grupos

Talento para mediar soluções

Característica presente nas pessoas que possuem facilidade de lidar e gerir conflitos, fazendo acordos onde todas as partes ganham, habilidade essencial para quem pretende se tornar uma pessoa mais diplomata.

Criar ligações pessoais

É a facilidade de compreender os sentimentos dos outros e reagir de forma adequada.

Boa capacidade de análise social

Aptidão para detectar as preocupações e motivações dos outros, facilitando a criação de vínculos mais profundos (confiança).

Um elevado nível de inteligência interpessoal serve de base para o sucesso social de um indivíduo. Estas pessoas possuem a tendência de serem emocionalmente estimulantes, fazendo com que os outros sintam-se bem ao lado delas.

Além disso, é comum que elas dominem a forma de sintonizar com os sentimentos dos outros, adaptando-se conforme necessário.

Como a Inteligência Emocional afeta o Relacionamento Interpessoal

Ainda segundo o autor Daniel Goleman, o que determina a eficiência nos relacionamentos interpessoais é a capacidade de estabelecer uma sincronia entre as partes. A habilidade de conseguir sintonizar com o estado de espírito das outras pessoas promove interações emocionalmente mais satisfatórias.

Neste contexto, a capacidade de empatia é considerada como o pilar principal da inteligência emocional. Em qualquer área da vida, torna-se fundamental compreender como o outro está se sentindo. Muitas vezes as emoções não são expressas verbalmente e esta compreensão pode ocorrer em níveis diferentes, mais tênues.

É muito comum que as pessoas que possuem a capacidade de empatia consigam “ler” sinais não-verbais como: mudanças na expressão facial; posturas; gestos e tom de voz.

comunicação não verbal

Às vezes, esta habilidade de leitura é puramente intuitiva, fazendo com que a pessoa não consiga explicar como foi capaz de sintonizar com o outro.

As raízes do desenvolvimento da empatia se encontram na infância, antes mesmo da criança conquistar algum sentimento de individualidade. Pesquisadores do tema constataram que, até os dois anos de idade, a capacidade dos bebês sentirem o que o outro sente funciona através de um espelhamento físico e motor.

De acordo com uma pesquisa realizada em 2018 pela empresa americana de Recursos Humanos Businessolver, ficou demonstrado que 96% dos entrevistados avaliaram a empatia como importante nas empresas. Este número representa um aumento de 4% em relação a mesma pesquisa do ano anterior.

Além disso, a pesquisa revelou que 92% dos entrevistados acreditam que a empatia ainda é pouco valorizada no meio corporativo. Cerca de 87% dos CEOs entrevistados acreditam que o desempenho financeiro das empresas está diretamente associado à empatia no ambiente de trabalho.

Outros dados da pesquisa demonstraram que a empatia está cada vez mais valorizada no contexto profissional. Líderes e funcionários concordam que o treinamento para a empatia deve se tornar prioridade.

A conclusão da pesquisa, indica que a empatia aumenta positivamente a qualidade do relacionamento interpessoal dentro das organizações. Este aumento é o fator chave para manter os colaboradores motivados e o clima organizacional cooperativo.

Elisângela Dias
Elisângela Dias
Graduada em Gestão de Recursos Humanos pela Universidade Estácio de Sá em 2004. Pós graduada em Gestão de Projetos pela Universidade Cândido Mendes em 2007.