Como calcular a renda bruta para quem trabalha pelo regime CLT?


Elisângela Dias
Elisângela Dias
Gestora de Recursos Humanos

As pessoas que se encontram empregadas pelo regime CLT conseguem identificar sua renda bruta com facilidade. Para isso, basta conferir o valor nominal do salário que aparece no seu informativo mensal, sem considerar os descontos.

Dependendo de quem faz a exigência de comprovação de renda bruta, pode ser necessário contabilizar os valores dos benefícios oferecidos pela empresa. Neste caso, você sempre deve verificar como proceder perante a instituição.

Exemplo de cálculo da renda bruta

Imagine um funcionário que possua o seguinte contra-cheque:

Descrição
Vencimento
Desconto
Salário
R$ 1.200,00
Salário-família
R$ 32,80
Faltas
R$ 87,20
INSS
R$ 96,00
Vale transporte
R$ 72,00
Total VencimentosTotal Descontos
R$ 1.232,80
R$ 255,20
Salário Líquido
R$ 977,60

Caso ele precisasse apresentar sua renda bruta para não contabilizar o valor dos benefícios, seria considerado apenas o valor de R$ 1.200.

Agora, se uma instituição considerasse os benefícios na composição da renda bruta, seria considerado o valor de R$ 1.200 + R$ 32,80, valor do salário-família. Assim, a renda bruta ficaria em R$ 1.232,80.

Nos dois casos, nenhum dos valores de desconto são considerados.

Como calcular a renda bruta para autônomos?

Para quem trabalha como autônomo, o cálculo da renda bruta será feito por uma média. Dependendo do caso, é provável que seja solicitado um certo número de comprovantes de um determinado período para o cálculo. Mantenha seus comprovantes de recebimento organizados para atender esta solicitação.

Qual é a renda bruta para o ProUni?

O Programa Universidade para Todos (ProUni), do Ministério da Educação, foi criado pelo governo federal em 2004. Ele oferece bolsas de estudo integrais ou parciais (50%) nas instituições de ensino superior privadas.

O programa vale para cursos de graduação e sequenciais de formação específica, apenas para aqueles estudantes que ainda não possuem curso superior.

Para concorrer às bolsas integrais, é necessário confirmar uma renda salarial bruta mensal, por pessoa, de até um salário mínimo e meio. Em outras palavras, nenhum membro da família pode ganhar uma renda bruta superior a este valor.

No caso das bolsas parciais (50%), o limite da renda bruta familiar por pessoa é de três salários mínimos.

O que é renda per capita?

A renda per capita é um indicador econômico que mede o grau de desenvolvimento do país. Ela é calculada através da divisão do produto nacional bruto (PNB) pelo número de habitantes.

Mesmo sendo utilizado como base de referência, a renda per capita não leva em conta as desigualdades econômicas e os problemas da distribuição de renda.

Quando se fala em renda bruta per capita no contexto familiar, significa que fala-se da renda média da família. Para calcular a renda bruta per capita da sua família, basta somar todos os salários individuais sem considerar os descontos e dividir pelo número de pessoas da família.

Exemplo do cálculo da renda bruta per capita familiar

Considere uma família com três pessoas que ganham os seguintes salários brutos, sem descontos:

  • João (pai) - R$ 3.500

  • Maria (mãe) - R$ 1.450

  • Pedro (filho) - não trabalha

A renda bruta per capita seria o resultado da soma de R$ 3.500 + R$ 1.450 = R$ 4.950. O resultado seria dividido por 3, que é o número de pessoas da família. Desta forma temos a renda bruta per capita familiar será de R$ 1.650.

Situações onde a renda bruta pode ser solicitada

Existem diversas situações onde a renda bruta pode ser solicitada, como na compra de um veículo financiado, durante a abertura de conta corrente num banco, ao solicitar empréstimos e quando for alugar um imóvel. Por causa disso, torna-se muito importante saber calcular este valor.

Veja também:

Elisângela Dias
Elisângela Dias
Graduada em Gestão de Recursos Humanos pela Universidade Estácio de Sá em 2004. Pós graduada em Gestão de Projetos pela Universidade Cândido Mendes em 2007.