As 8 melhores planilhas de gastos pessoais para você utilizar


Elisângela Dias
Elisângela Dias
Gestora de Recursos Humanos

Se você descuidou das finanças durante os últimos tempos e tomou consciência de que precisa retomar o controle do seu dinheiro, está na hora de começar a se organizar. Essas são as oito melhores planilhas de gastos pessoais, escolha a melhor para você.

Planilha 1

Planilha ideal para o controle das receitas, gastos fixos e gastos variáveis estruturada de forma mensal e organizada por cores.

Baixe aqui a Planilha 1

Planilha 2

Modelo estruturado por mês, com o design menos colorido que também atende quem precisa controlar as receitas, gastos fixos e gastos variáveis.

Baixe aqui a Planilha 2

Planilha 3

Planilha monocromática com subtotais por mês para cada item: receitas, gastos fixos e gastos variáveis.

Baixe aqui a Planilha 3

Planilha 4

Planilha com subtotais por mês para cada item: receitas, gastos fixos e gastos variáveis e organizada por cores diferentes para receitas e gastos.

Baixe aqui a Planilha 4

Planilha 5

Para quem precisa controlar investimentos financeiros além das receitas e gastos, este é o modelo certo. Os gastos estão organizados por categorias e os resultados resumidos.

Baixe aqui a Planilha 5

Planilha 6

Se você prefere confrontar o que foi planejado com o realizado tornando evidentes as diferenças, este é o modelo adequado.

Baixe aqui a Planilha 6

Planilha 7

Para quem prefere organizar as finanças por trimestre, este modelo é o ideal. Os gastos são classificados por categoria.

Baixe aqui a Planilha 7

Planilha 8

Se você prefere ter uma ideia do resultado semestral, este é o modelo ideal.

Baixe aqui a Planilha 8

Como se organizar com a sua planilha de gastos pessoais

1. Reserve um tempo para o controle

Quem tem dificuldade em ser disciplinado e organizado com o dinheiro, deve se esforçar para reservar um horário durante o dia para registrar a movimentação financeira na planilha. Na maioria dos casos bastam 20-30 minutos para concluir a operação. Mantenha a sua planilha na nuvem (utilize o Google drive, por exemplo), assim você não terá desculpas para poder acessá-la.

2. Identifique as suas receitas

Se você ainda está ativo no mercado de trabalho, o seu salário deve ser o primeiro item desta lista. Aposentadorias e pensões também entram aqui, no caso de você estar aposentado. Qualquer receita com alguma espécie de aluguel (imóveis, carros, máquinas, equipamentos etc) também faz parte desta lista.

3. Identifique seus gastos fixos

O primeiro item que deve ser estudado são os seus gastos fixos. São aqueles gastos que se repetem todos os meses - contas de água, luz, aluguel, condomínio, plano de saúde, mensalidade da universidade, transporte etc. Inclua nesta lista também os valores de compras parceladas no cartão de crédito.

4. Identifique seus gastos variáveis

Os itens que variam de valor de um mês para outro (telefone, celular, transportes, combustível, etc) devem ser classificados como variáveis. Geralmente é nesta área que você poderá fazer reduções.

5. Mantenha um acompanhamento constante

Seja implacável com o controle! Mantenha uma rotina diária de registros das suas movimentações. Apenas através da organização e disciplina é que você será capaz de acumular informações a respeito da sua vida financeira. Sem informações o descontrole tende a aumentar. Somente com a informação organizada é que você será capaz de identificar maus hábitos que levam à gastos desnecessários. Portanto não perca tempo e comece agora a criar sua nova realidade financeira!

Elisângela Dias
Elisângela Dias
Graduada em Gestão de Recursos Humanos pela Universidade Estácio de Sá em 2004. Pós graduada em Gestão de Projetos pela Universidade Cândido Mendes em 2007.