Como escolher o plano de previdência privada mais adequado


Elisângela Dias
Gestora de Recursos Humanos

A previdência privada funciona como uma poupança em que realizamos um investimento que deve se tornar uma aposentadoria. Todo esse dinheiro pode ser resgatado na forma de uma renda ou em valor integral.

Para escolher a melhor previdência é preciso estar atento aos planos existentes e a forma que será tributada, pois os valores ao final de cada plano podem variar.

Qual plano de previdência privada escolher

Existem dois tipos de planos de previdência privada, o PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) e o VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre).

Quando escolher o PGBL?

O PGBL é o plano de previdência mais indicado se você:

  • Possui rendimentos altos;
  • Faz a declaração do imposto de renda em modelo completo (muito optada por quem possui muitas despesas dedutíveis);
  • Já contribui para a previdência social;
  • Pretende contribuir com até 12% de seu salário bruto.

A maior vantagem deste plano é que o imposto de renda será calculado sobre o salário sem essa contribuição, quer dizer que, por exemplo, se alguém com salário de R$ 10.000,00 paga R$ 1.200,00 de previdência privada, tem o desconto de IR apenas sobre os R$ 8.800,00 restantes, ou seja, existe um benefício fiscal e mais dinheiro no bolso todo mês.

Já a desvantagem é que, ao resgatar, o imposto incidirá sobre toda a quantia acumulada, ou seja, se no total estiverem R$ 500.000,00 entre contribuições e juros, o tributo será pago sobre este mesmo valor e uma boa parte vai para o governo.

Quando escolher o VGBL?

O VGBL é o plano mais indicado se você:

  • Possui baixos rendimentos;
  • Faz a declaração do imposto de renda em modelo simplificado (em que existe uma única dedução de 20% para os rendimentos), ou nem declara;
  • Pretende poupar em mais de 12% do salário bruto.

Este plano acaba por sofrer os descontos com o imposto de renda, mas ao final quando é resgatado, a tributação será apenas sobre o ganho de capital (rendimento) do valor investido.

É possível também fazer dois planos diferentes, principalmente se você pensa em descontar mais de 12% do salário para este fim, fazendo um PGBL com no máximo 12% mais um VGBL com essa diferença adicional.

Além dos planos, é preciso estar atento em quanto tempo será investido todo esse dinheiro e, novamente, estar atento aos impostos para não perder dinheiro com isso.

Qual forma de tributação escolher 

Existem duas formas de tributar a previdência privada e que fazem os valores finais serem diferentes. Porém é possível escolher a opção que não seja desfavorável, entre a tabela progressiva ou regressiva, do imposto de renda, ao fazer o contrato da previdência.

O que é o regime progressivo?

Pelo regime progressivo, as tributações são idênticas ao de quando calculamos nosso salário líquido, por isso será mais vantajoso se você pensa em resgatar a previdência dividida em rendas.

Desta forma, o pagamento de imposto é maior, quanto mais dinheiro investido. Por isso, quanto maior o valor de resgate, mais será tributado. Basta vermos a tabela abaixo, disponibilizado pela Receita Federal:

Tabela progressiva de imposto de renda
Base de cálculo (R$)Alíquota Parcela a deduzir (R$)
Até 1.903,980%0,00
De 1.903,99 até 2.826,657,5%142,80
De 2.826,66 até 3.751,0515%354,80
De 3.751,06 até 4.664,6822,5%636,13
Acima de 4.664,6927,5%869,36

O que é o regime regressivo?

Pelo regime regressivo, a tributação diminui conforme o tempo que a previdência vai ficar investida, por isso será mais vantajosa se você pensa em resgatar a previdência em valor integral.

O resgate do valor por completo também depende do tempo que você pensa em investir na previdência. Confira esta tabela abaixo:

Tabela regressiva do imposto de renda
Tempo de aplicaçãoAlíquota
Até 2 anos35%
De 2 a 4 anos30%
De 4 a 6 anos25%
De 6 a 8 anos20%
De 8 a 10 anos15%
Acima de 10 anos10%

Se, por exemplo, o dinheiro estiver investido durante 40 anos, passará 30 anos com descontos ao imposto de renda de apenas 10%. Mas claro, o dinheiro tem que ser resgatado todo ao final.

Para quem procura uma aposentadoria em forma de renda temporária, esta renda será descontada pela tabela progressiva do ano que você queira se aposentar. 

Além disso, é preciso estar atento aos outros encargos que as empresas de previdência complementar cobram. Muitos bancos disponibilizam simuladores de previdências na internet e que podem ajudar a escolher o que for mais adequado a sua realidade. 

Elisângela Dias
Graduada em Gestão de Recursos Humanos pela Universidade Estácio de Sá em 2004. Pós graduada em Gestão de Projetos pela Universidade Cândido Mendes em 2007.