Cálculo de férias: saiba como fazer o seu


Elisângela Dias
Elisângela Dias
Gestora de Recursos Humanos

Neste artigo, você irá aprender como calcular as suas férias através de um exemplo prático. A maioria dos trabalhadores possui dúvidas a respeito do cálculo das férias. Por isso, preparamos este artigo para você esclarecer todas as questões a respeito deste assunto.

O que deve ser considerado no cálculo das férias?

João é um assistente administrativo que está trabalhando com um contrato por tempo indeterminado há 12 meses para o mesmo empregador. Sendo assim, ele ganhou o direito de usufruir de 30 dias de férias. Como a quantidade de dias pode sofrer reduções em função das ausências injustificadas do trabalhador durante o período aquisitivo, Maria, a  responsável pelo departamento de pessoal, levantou o total de faltas de João para avaliar quantos dias de férias ele teria direito, segundo a tabela abaixo.

Dias de faltas injustificadasDias de férias
Até 5 dias30 dias
De 6 a 14 dias24 dias
De 15 a 23 dias18 dias
De 24 a 32 dias12 dias
Acima de 33 dias0 dias


Para a felicidade de João, ele tinha apenas uma falta injustificada durante os últimos doze meses, garantindo o direito aos 30 dias.

A seguir, Maria considerou para o cálculo das férias o valor do salário bruto de João de R$ 2.000,00. Além disso, ele avaliou se João recebia algum tipo de adicional (insalubridade, trabalho perigoso, noturno, etc) para incluir no cálculo, mas este não era o caso, porque ele  se limitava a trabalhar no setor administrativo durante o dia.

Como João começou a trabalhar no dia 01 de março de 2018, Maria calculou a média de horas extras do período aquisitivo conforme o registro a seguir:

Mês/AnoHoras Extras
Março/201810
Abril/201810
Maio/201810
Junho/201820
Julho/201820
Agosto/201810
Setembro/201820
Outubro/201820
Novembro/201815
Dezembro/201810
Janeiro/201910
Fevereiro/201920
MÉDIA14,58


Para calcular o valor da média de horas extras é necessário calcular o valor do salário hora. No caso seria R$ 2.000,00 / 220 horas = R$ 9,09. Então o valor seria de 14,58 X R$ 9,09 = R$ 132,53.

João estava disposto a vender 10 dias (1/3) de suas férias. Portanto, ele receberia por 20 dias de férias, ou seja, dois terços (2/3) de seu salário + média de horas extras. O valor correspondente seria de R$ 1.421,69

Salário: R$2.000,00

Horas extras: R$132,53

2/3 de salário + horas extras:

2 X R$2.132,53 = R$4.265,06. 

R$4.265,06 / 3 = R$1.421,69

Depois disso, Maria calculou o abono constitucional de férias, que correspondem a um terço do valor das férias. Desta maneira, o valor calculado seria de R$ 473,92.

Por causa da venda dos 10 dias, Maria teve que calcular o abono pecuniário, que corresponde a um terço do valor dos 10 dias de salário + média de horas extras. O resultado deste cálculo foi de R$ 710,88 / 3 = R$ 236,96.

Maria perguntou a João se ele desejava receber a primeira parcela do décimo terceiro salário junto com as férias. Ele preferiu deixar para receber o décimo terceiro salário integralmente no final do ano.

Por último, com os valores de férias + abono constitucional, Maria calculou os valores de INSS e IRRF para o caso de João, considerando as tabelas abaixo:

Faixa SalarialAlíquota INSS
até 1.751,818%
de 1.751,82 até 2.919,729%
de 2.919,73 até 5.839,4511%
Faixa SalarialAlíquota IRF
Até 1.903,98  -
De 1.903,99 até 2.826,657,5%
De 2.826,66 até 3.751,0515%
De 3.751,06 até 4.664,6822,5%
Acima de 4.664,6827,5%

Os cálculos finais ficaram assim:

ProventosDescontos
FériasR$1421,69
Abono constitucional (1/3)R$ 473,92
Abono pecuniárioR$ 710,88
Abono pecuniário (1/3)R$ 236,96
INSS (9%)R$ 170,60
IRRF (isento)      -
SubtotaisR$ 2.843,45R$ 170,60
TotalR$ 2.672,85

O empregador não é obrigado a conceder as férias imediatamente após o término do período aquisitivo. A empresa pode contar com o prazo de 12 meses para isso. A falha no cumprimento desta regra acarreta no pagamento das férias em dobro.

A remuneração deve ocorrer 2 dias antes do trabalhador sair efetivamente de férias.

Este artigo foi útil?
Elisângela Dias
Elisângela Dias
Graduada em Gestão de Recursos Humanos pela Universidade Estácio de Sá em 2004. Pós graduada em Gestão de Projetos pela Universidade Cândido Mendes em 2007.